• ENGENHARIA CIVIL - BACHARELADO
  • CALENDÁRIO
NOME DO CURSO ENGENHARIA CIVIL NÍVEL GRADUAÇÃO GRAU BACHARELADO INICIO DO CURSO 03/2004 CONCEITO DO CURSO ENADE:3 CEE/AM:CURSO AINDA NÃO AVALIADO PERIODICIDADE SEMESTRAL INTEGRALIZAÇÃO 10 PERÍODOS
SELECIONE O MUNICÍPIO
UNIDADE ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA
TURNO INTEGRAL MODALIDADE PRESENCIAL NÚMERO DE CRÉDITOS 283 CARGA HORÁRIA MÍNIMA 4935 EM EXTINÇÃO? NÃO PARFOR? NÃO CÓDIGO DO INEP
TURNO INTEGRAL MODALIDADE PRESENCIAL NÚMERO DE CRÉDITOS 150 CARGA HORÁRIA MÍNIMA 4000 EM EXTINÇÃO? NÃO PARFOR? NÃO CÓDIGO DO INEP
  • Periódicos da CAPES
  • Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior

APRESENTAÇÃO

SOBRE O CURSO Objetivo Geral
Com base nas premissas que emanam da Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996, e nas determinações das Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Graduação em Engenharia Civil CNE/CES n.º 11, de 11 de Março de 2002, o curso de Engenharia Civil da Escola Superior de Tecnologia da Universidade do Estado do Amazonas – EST/UEA, tem por objetivo geral formar engenheiros com capacidade de desenvolvimento intelectual generalista, humanista, crítica e reflexiva, capacitado a absorver e desenvolver novas tecnologias, estimulando a sua atuação crítica e criativa na identificação e resolução de problemas, considerando seus aspectos políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais, com visão ética e humanística, em atendimento às demandas da sociedade.

Objetivos Específicos
Os objetivos específicos do Curso de Engenharia Civil são:

a. Aplicar conhecimentos matemáticos, científicos, tecnológicos e instrumentais direcionados à engenharia civil;
b. Conceber, projetar, analisar e conduzir sistemas, produtos, processos e experimentos, assim como interpretar os resultados de tais projetos e experimentos;
c. Planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos, manutenção de sistemas e serviços referentes a engenharia civil, assim como avaliar criticamente a operação e a manutenção de sistemas;
d. Saber identificar, formular e resolver os problemas que surgirem de engenharia fazendo uso e/ou desenvolvendo novas ferramentas e técnicas;
e. Saber comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e gráfica, assim como saber atuar em equipes multidisciplinares com compreensão e aplicação da ética e da responsabilidade profissionais;
f. Avaliar o impacto das atividades da engenharia no contexto social e ambiental, avaliando a viabilidade econômica de projetos de engenharia;
g. Capacitar seus egressos para elaborar, coordenar, implantar e operar projetos, fiscalizar e supervisionar as atividades profissionais referentes à geomática, hidrologia, hidráulica, geotecnia, construção civil, saneamento, transporte e meio ambiente.

ÁREAS DE ATUAÇÃO No âmbito geral, o exercício da profissão de profissionais de Engenharia e suas atribuições profissionais estão definidos no art. 7o da Lei n° 5.194/66, e para efeito de fiscalização do exercício profissional às diferentes modalidades da Engenharia, a Resolução 218 do CONFEA de 29 de junho de 1973 designa as seguintes atividades:
01. Supervisão, coordenação e orientação técnica;
02. Estudo, planejamento, projeto e especificação;
03. Estudo de viabilidade técnico-econômica;
04. Assistência, assessoria e consultoria;
05. Direção de obra e serviço técnico;
06. Vistoria, perícia, avaliação, arbitramento, laudo e parecer técnico;
07. Desempenho de cargo e função técnica;
08. Ensino, pesquisa, análise, experimentação, ensaio e divulgação técnica e extensão;
09. Elaboração de orçamentos;
10. Padronização, mensuração e controle de qualidade;
11. Execução de obra e serviço técnico;
12. Fiscalização de obra e serviço técnico;
13. Produção técnica especializada;
14. Condução de trabalho técnico;
15. Condução de equipe de instalação, montagem, operação, reparo ou manutenção;
16. Execução de instalação, montagem e reparo;
17. Operação e manutenção de equipamento e instalação;
18. Execução de desenho técnico.

As competências e habilidades entendidas como essenciais a serem desenvolvidas no decorrer do Curso de Engenharia Civil para atender o perfil profissional têm como referência as indicadas na Resolução CNE/CES Nº 11/2002, art. 28, são:
a) trabalhos topográficos e geodésicos;
b) o estudo, projeto, direção, fiscalização e construção de edifícios, com todas as suas obras complementares;
c) o estudo, projeto, direção, fiscalização e construção das estradas de rodagem e de ferro;
d) o estudo, projeto, direção, fiscalização e construção das obras de captação e abastecimento de água;
e) o estudo, projeto, direção, fiscalização e construção de obras de drenagem e irrigação;
f) o estudo, projeto, direção, fiscalização e construção das obras destinadas ao aproveitamento de energia e dos trabalhos relativos às máquinas e fábricas;
g) o estudo, projeto, direção, fiscalização e construção das obras relativas a portos, rios e canais e das concernentes aos aeroportos;
h) o estudo, projeto, direção, fiscalização e construção das obras peculiares ao saneamento urbano e rural;
i) projeto, direção e fiscalização dos serviços de urbanismo;
j) a engenharia legal, nos assuntos correlacionados com as especificações das alíneas “a” a “i”;
k) perícias e arbitramento referentes à matéria das alíneas anteriores

PERFIL DO PROFISSIONAL O profissional egresso do Curso de Engenharia Civil da Escola Superior de Tecnologia da Universidade do Estado do Amazonas EST/UEA é um profissional de formação generalista, que atua na concepção, planejamento, projeto, construção, operação e manutenção de edificações e de infraestruturas. Suas atividades incluem: supervisão, coordenação e orientação técnicas; estudo, planejamento, projeto e especificação; estudo de viabilidade técnico-econômica; assistência, assessoria e consultoria; direção, execução e fiscalização de obra e serviço técnico; vistoria, perícia, avaliação, arbitramento, laudo e parecer técnico. Pode desempenhar cargos e funções técnicas, elaborar orçamentos e cuidar de padronização, mensuração e controle de qualidade. Pode coordenar equipes de instalação, montagem, operação, reparo e manutenção. Executa desenho técnico e se responsabilizar por análise, experimentação, ensaio, divulgação e produção técnica especializada. Coordena e supervisiona equipes de trabalho, realiza estudos de viabilida
de técnico-econômica, executa e fiscaliza obras e serviços técnicos; e efetua vistorias, perícias e avaliações, emitindo laudos e pareceres. Em suas atividades, considera a ética, a segurança, a legislação e os impactos ambientais.

A formação deste profissional está dividida em duas partes, onde a primeira é o perfil comum, cuja formação é generalista, humanista, crítica e reflexiva, capacitado a absorver e desenvolver novas tecnologias, estimulando a sua atuação crítica e criativa na identificação e resolução de problemas, considerando seus aspectos políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais, com visão ética e humanista, em atendimento às demandas da sociedade; e a segunda o perfil específico, onde a compreensão dos elementos e processos concernentes ao ambiente natural e ao construído, com base nos fundamentos filosóficos, teóricos e metodológicos da engenharia e a aplicação desse conhecimento na busca do desenvolvimento social; domínio e permanente aprimoramento das abordagens científicas pertinentes ao processo de produção e aplicação dos conhecimentos adquiridos, segundo MEC.

SITUAÇÃO LEGAL ATO DE CRIAÇÃO: Absorvido pela UEA nos termos do Estatuto da UEA, art. 8, §4º; ratificada pelo Decreto Nº 24.788, publicado no DOU, de 30-12-2004; Resolução Nº 44/2012-CONSUNIV, DOE de 26/12/2012, pub. diversas, pg. 7.

ATO DE RECONHECIMENTO: Portaria do MEC nº 1.464, 1 de outubro de 1993, DOU de 01/10/1993.

COORDENAÇÃO
NOME E-MAIL CARGO FONE FAX
RUBELMAR MAIA DE AZEVEDO CRUZ FILHO RAZEVEDO@UEA.EDU.BR COORDENADOR