• ENGENHARIA DE COMPUTA플O - BACHARELADO
  • CALEND핾IO
NOME DO CURSO ENGENHARIA DE COMPUTA플O NVEL GRADUA플O GRAU BACHARELADO INICIO DO CURSO 03/2004 CONCEITO DO CURSO ENADE:3 CEE/AM:CURSO AINDA N홒 AVALIADO PERIODICIDADE SEMESTRAL INTEGRALIZA플O 10 PERODOS
SELECIONE O MUNICPIO
UNIDADE ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA
TURNO INTEGRAL MODALIDADE PRESENCIAL NMERO DE CRDITOS 293 CARGA HOR핾IA MNIMA 4965 EM EXTIN플O? N홒 PARFOR? N홒 CDIGO DO INEP
TURNO INTEGRAL MODALIDADE PRESENCIAL NMERO DE CRDITOS 240 CARGA HOR핾IA MNIMA 3885 EM EXTIN플O? N홒 PARFOR? N홒 CDIGO DO INEP
  • Peridicos da CAPES
  • Coordena豫o de Aperfeioamento de Pessoal de Nvel Superior

APRESENTA플O

SOBRE O CURSO Objetivo Geral

Formar profissional qualificado, para atua豫o nas reas do campo da Engenharia de Computa豫o.

Objetivos Especficos

Formar profissional que possa atender o mercado de imediato, com capacidade para entender e desenvolver novas tecnologias;

Proporcionar aos seus alunos condi寤es adequadas para que adquiram uma forte forma豫o bsica nos primeiros anos de curso;

Proporcionar aos alunos meios adequados para que, alm da forma豫o bsica possam tornar-se especialistas em suas reas de interesse;

Proporcionar aos alunos o contato direto com as reas de atua豫o do engenheiro, atravs de atividades de extenso, como visitas tcnicas, estgios e atividades de inicia豫o cientfica, para que tenha maior conhecimento da realidade do setor.

Desenvolver nos alunos capacidade de trabalho independente e atitude pr-ativa e que seja apto a integrar equipes multidisciplinares de trabalho;

Proporcionar uma atmosfera acadmica saudvel, construtiva e de companheirismo, tanto nas salas de aula quanto nos laboratrios, para que o aluno tenha condi寤es de progredir de forma ampla em todos os aspectos da vida profissional, seja atravs dos contedos de suas disciplinas, dos ensinamentos e exemplos apresentados pelos professores, e na convivncia com colegas de diferentes nveis, nos laboratrios e nos grupos de pesquisa e, de um modo mais geral, atravs da participa豫o em atividades promovidas na universidade, fora do mbito de seu curso.

핾EAS DE ATUA플O O Parecer CNE/CES n. 1.362, de 12 de dezembro de 2001 determina ainda que os Currculos dos Cursos de Engenharia devero dar condi寤es a seus egressos para adquirir competncias e habilidades para:

a) Aplicar conhecimentos matemticos, cientficos, tecnolgicos e instrumentais engenharia;

b) Projetar e conduzir experimentos e interpretar resultados;

c) Conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e processos;

d) Planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos e servios de engenharia;

e) Identificar, formular e resolver problemas de engenharia;

f) Desenvolver e/ou utilizar novas ferramentas e tcnicas;

g) Supervisionar a opera豫o e a manuten豫o de sistemas;

h) Avaliar criticamente a opera豫o e a manuten豫o de sistemas;

i) Comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e grfica;

j) Atuar em equipes multidisciplinares;

k) Compreender e aplicar a tica e responsabilidade profissionais;

l) Avaliar o impacto das atividades da engenharia no contexto social e ambiental;

m) Avaliar a viabilidade econmica de projetos de engenharia;

n) Assumir a postura de permanente busca de atualiza豫o profissional.


As Diretrizes Curriculares dos cursos de Bacharelado em Cincia da Computa豫o, Engenharia de Computa豫o, Engenharia de Software e Sistemas de Informa豫o e dos cursos de Licenciatura em Computa豫o, em seu item XII, artigo 7 Competncias e Habilidades Especficas dos Cursos de Bacharelado em Engenharia de Computa豫o indica que, levando em considera豫o a flexibilidade necessria para atender domnios diversificados de aplica豫o e para a voca豫o das Institui寤es, o curso de Bacharelado em Engenharia de Computa豫o deve possibilitar uma forma豫o profissional que revele, pelo menos, as habilidades e competncias para:

1. Conhecer e construir hardware, software e sistemas de comunica寤es e suas intera寤es, seguindo teorias, princpios e mtodos, tcnicas e procedimentos da engenharia e da computa豫o;

2. Realizar estudos, planejar, especificar, projetar, desenvolver, adaptar, aprimorar, industrializar, instalar e fazer a manuten豫o de sistemas de computa豫o de propsito geral ou especifico, incluindo sistemas embarcados;

3. Conhecer os direitos e propriedades intelectuais inerentes produ豫o e utiliza豫o de sistemas de computa豫o;

4. Realizar estudos de viabilidade tcnico-econmica;

5. Avaliar a qualidade de sistemas de computa豫o; e

6. Gerenciar projetos, construir e manter sistemas de computa豫o.


O exerccio da profisso de Engenheiro, regulamentada pela lei no. 5.194 de 24 de dezembro de 1966. As atribui寤es profissionais esto definidas no art. 7o e as atividades previstas para o exerccio profissional, para efeito de fiscaliza豫o, esto regulamentadas pela resolu豫o 218 do CONFEA de 29 de junho de 1973.

No progresso de sua carreira profissional, agregando experincia prtica e aperfeioamentos realizados, os egressos devero estar capacitados a assumir fun寤es em diferentes nveis dentro das organiza寤es, seja de execu豫o, gerenciamento ou de dire豫o, para as quais seguem algumas atividades e responsabilidades tcnicas inerentes fun豫o (diretor, administrador, gerente, projetista, coordenador, engenheiro, pesquisador, dentre outras):

Desenvolvimento de Sistemas de Software;

Planejamento de Capacidade e Projeto de Redes e/ou Sistemas de Telecomunica寤es;

Manuten豫o de Software;

Gerncia, Opera豫o e Manuten豫o de Sistemas de Redes

Desenvolvimento e Gerenciamento de Banco de Dados;

Especificar, projetar e implementar sistemas embarcados e controladores

Projetar e desenvolver sistemas de processamento digital de sinais

Projetar e desenvolver sistemas distribudos, paralelos e concorrentes.

Os engenheiros de computa豫o podero atuar em reas ligadas ao uso e desenvolvimento de computadores pessoais e de grande porte, redes locais, metropolitanas e de longa distncia de computadores, comunica豫o entre e por computadores, viso computacional, inteligncia artificial, pr

PERFIL DO PROFISSIONAL Segundo o Parecer CNE/CES n. 1.362, de 12 de dezembro de 2001:

밢 perfil dos egressos de um curso de engenharia compreender uma slida forma豫o tcnico cientfica e profissional geral que o capacite a absorver e desenvolver novas tecnologias, estimulando a sua atua豫o crtica e criativa na identifica豫o e resolu豫o de problemas, considerando seus aspectos polticos, econmicos, sociais, ambientais e culturais, com viso tica e humanstica, em atendimento s demandas da sociedade.

Levando em considera豫o a flexibilidade necessria para atender domnios diversificados de aplica豫o e para as voca寤es das Institui寤es, espera-se que os egressos dos cursos de Engenharia de Computa豫o da UEA sejam capazes de:

a. Absorver conhecimento em Cincia da Computa豫o, Matemtica e Engenharia Eltrica, visando o projeto de sistemas de computa豫o, em particular, sistemas embarcados;

b. Ser reflexivos na constru豫o de sistemas de computa豫o por entender que eles atingem direta ou indiretamente as pessoas;

c. Entender o contexto social no qual a Engenharia praticada, bem como os efeitos dos projetos de Engenharia na Sociedade;

d. Considerar os aspectos econmicos, financeiros, de gesto e de qualidade, associados a novos produtos e organiza寤es;

e. Considerar fundamental a inova豫o e a criatividade e entendam de perspectivas de negcios e oportunidades relevantes.

SITUA플O LEGAL ATO DE CRIA플O: Absorvido pela UEA 01/08/2002 Estatuto da UEA, art. 8, 4; Resolu豫o N 44/2012-CONSUNIV, DOE de 26/12/2012, pub. diversas, pg. 7.

ATO DE RECONHECIMENTO: Portaria MEC n 356, 09 de maro de 1994, DOU de 10/03/1994; RESOLU플O N 120/99-CEE/AM, de 22/08/2000, DOE de 23/12/2002.

COORDENA플O
NOME E-MAIL CARGO FONE FAX
RAIMUNDO CORREA DE OLIVEIRA RCOLIVEIRA@UEA.EDU.BR COORDENADOR